sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Dia D da campanha de multivacinação para crianças e adolescentes é neste sábado

Atualmente, o calendário nacional de vacinação conta com 14 vacinas para as crianças e 5 para os adolescentes.
Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Será neste sábado (16.09) o Dia D da Campanha Nacional de Multivacinação para Atualização de Caderneta de Vacinação. Essa estratégia vem sendo adotando desde 2012 e tem a finalidade de atualizar a situação vacinal de rotina da população de crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade (14 anos 11 meses e 29 dias). Cada município organizará suas ações para o Dia D. 
 Atualmente, o calendário nacional de vacinação conta com 14 vacinas para as crianças e 5 para os adolescentes. Por isso, é fundamental que toda a população alvo compareça aos serviços de saúde levando a caderneta de vacinação, para que os profissionais de saúde possam avaliar se há alguma vacina que ainda não foi administrada ou se há doses que necessitam ser aplicadas, para completar o esquema vacinal. Com isso, é possível evitar casos de sarampo, coqueluche, difteria, tétano, HPV, meningite, poliomielite, hepatites A e B, entre outras doenças.
 “A Campanha de Multivacinação busca chamar a atenção dos pais e responsáveis para que mantenham a caderneta de vacinação das crianças e adolescentes em dia. Esse é um momento oportuno para fazer a atualização e, com isso, evitar diversos tipos de doenças, inclusive algumas que estão fora de circulação no Brasil, como a poliomielite, que foi registrada pela última vez em Pernambuco em 1988”, afirma a coordenadora do Programa Estadual de Imunização da Secretaria Estadual de Saúde (SES), Ana Catarina de Melo.
 Entre as vacinas que poderão ser aplicadas nas crianças, estão as das hepatites A e B, tríplice viral (caxumba, rubéola e sarampo), meningocócica C, BCG e as contra a poliomielite. Já para o público entre 7 e menores de 15 anos, há a dupla adulto (dT - difteria e tétano), hepatite B, meningocócica C e HPV.
 “Para cada vacina é estabelecido o número de doses, a idade mínima e máxima para receber cada dose e os intervalos ideais entre as elas. Se um esquema vacinal não for completado ou for realizado no tempo inadequado, a pessoa não ficará imune às doenças”, ressalta Ana Catarina.


PORTAL BOM JARDIM
PORTAL BOM JARDIM

Nenhum comentário:

Postar um comentário