terça-feira, 8 de agosto de 2017

‘Prédio não tinha alvará de funcionamento’, diz Defesa Civil

Por TV Jornal
Reprodução/TV Jornal
Em vistoria realizada na manhã desta segunda-feira (7), os engenheiros da Defesa Civil do Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife, informaram que o prédio onde uma marquise desabou e matou três pessoas no último sábado (5), na praia de Gaibu, não tinha mais alvará de funcionamento. A Avenida Laura Cavalcanti, onde tudo aconteceu, precisou ser interditada.
“Foi informado para a gente que a licença foi dada baixa já há algum tempo, e era para funcionar como pousada, e que o proprietário não tinha mais intenção de funcionar como estabelecimento comercial. Uma varanda precisaria de estrutura de amarração de ferro, o que não existia", contou a coordenadora do órgão, Ana Sandra Souza Leão.  A averiguação foi acompanhada pelos parentes de Gilberto Balbino Neto, de 12 anos, uma das vítimas fatais do acidente.

Enterro

Foi enterrado na manhã desta segunda-feira (7), o corpo de José Vicente da Silva, de 47 anos, que foi atingido pela estrutura de concreto da laje do prédio, no último sábado (5). O sepultamento aconteceu na Capela do Cemitério São Sebastião, em Nazaré da Mata.

Acidente

O acidente aconteceu no fim da tarde do sábado. De acordo com testemunhas, as vítimas costumavam ficar na calçada do estabelecimento, aproveitando a sombra. A criança, de 12 anos, era filho do dono de um depósito de água, que fica em frente à pousada. O outro rapaz que morreu, de 22 anos, era funcionário do mesmo depósito de água. A outra vítima, um homem de 47 anos, morava no bairro do Ibura, na Zona Sul do Recife. Ele estava retornando da praia e tinha parado para tomar um sorvete no estabelecimento, que funcionava no térreo.
No acidente, três pessoas ficaram feridas. Sandra Maria de Oliveira, 52 anos, quebrou uma costela e teve de fazer drenagem no pulmão. Ela está internada em um hospital particular do Recife. José Ribeiro de Oliveira, 70 anos, está hospitalizado no mesmo local, e já recebeu alta médica. Eles estavam na marquise da pousada que desabou.
O terceiro sobrevivente, Jackson Mariano da Silva, 31 anos, é morador da Vila de Pescadores do Cabo. Ele teve fratura na coluna, passou por cirurgia no Hospital da Restauração (HR), na área central do Recife, fez drenagem no tórax para controlar uma hemorragia e não sente os membros inferiores.

PORTAL BOM JARDIM
PORTAL BOM JARDIM

Nenhum comentário:

Postar um comentário