terça-feira, 29 de agosto de 2017

Polícia conclui que Sérgio Falcão foi morto por policiais militares

Por TV Jornal
Reprodução/TV Jornal
Depois de cinco anos de investigação, Polícia Civil divulgou, na tarde desta segunda-feira (28), a conclusão do caso do empresário Sérgio Falcão, que morreu com um tiro na cabeça. A possibilidade de suicídio foi descartada, depois que uma segunda reprodução simulada foi realizada dentro do apartamento da vítima, e a morte ficou classificada como assassinato.
O sargento reformado da Polícia Militar (PM), Jailson Gomes de Melo, de 57 anos, e o irmão dele, o também PM reformado Jadilson Gomes de Melo, de 63, são suspeitos de participar do crime, e foram indiciados por homicídio qualificado. De acordo com a polícia, Jailson foi o executor do crime, e o irmão dele foi quem emprestou a arma usada para matar o empresário.
De acordo com o chefe da Polícia Civil, Jailson costumava acompanhar o empresário durante transações financeiras, e em uma delas, o PM reformado teria furtado cerca de R$ 100 mil de uma bolsa de Sérgio Falcão, o que teria sido a motivação para o crime. A Polícia Civil também concluiu que não houve mandante para a ação, e o inquérito foi remetido à justiça. A delegada responsável pelo caso, Vilaneida Aguiar, descartou a versão de que Sérgio Falcão teria pedido a arma do policial reformado para tirar a própria vida. Isso porque, segundo ela, o empresário possuía um revólver calibre 38 em casa.
O empresário Sérgio Falcão foi encontrado morto com um tiro na cabeça dentro do apartamento onde morava, na Avenida Boa Viagem, na Zona Sul do Recife. O crime aconteceu em 28 de agosto de 2012. Na época, uma perícia técnica indicou que o empresário havia se suicidado, no entanto, o PM Jailson foi filmado por câmeras de segurança do prédio saindo com uma arma na mão.

PORTAL BOM JARDIM
PORTAL BOM JARDIM

Nenhum comentário:

Postar um comentário