segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Modelo inglesa é sequestrada em Milão para ser vendida em leilão online

Chloe Ayling, de 20 anos, foi sequestrada para ser vendida em leilão na internet

Uma modelo inglesa foi drogada e sequestrada em Milão para ser vendida num leilão online, segundo informações divulgadas pela polícia italiana neste sábado. Chloe Ayling, de 20 anos, chegou na cidade no dia 10 de julho para participar de uma sessão de fotos marcada pelo agente dela, mas quando chegou ao local das fotos, foi rendida por dois homens, sequestrada e mantida em cativeiro por seis dias.
Em seu depoimento para a polícia, Chloe contou que um homem usando luvas pretas veio por trás dela e colocou uma mão em seu pescoço e a outra na boca, impedindo que ela gritasse. Ela disse ainda que um segundo homem mascarado deu uma injeção no braço direito dela.
Reconstrução feita pela polícia de como a modelo foi levada para o cativeiro 
"Quando acordei percebi que estava na mala de um carro com os pulsos e tornozelos algemados e fita adesiva na minha boca. Estava dentro de uma mala e só conseguia respirar por um buraco. Passei por uma experiência horrível. Temi pela minha vida, a cada segundo, minuto e hora", contou a modelo em depoimento obtido pelo jornal britânico "Daily Mail".


Segundo informações da polícia italiana, após ser dopada e colocada algemada dentro de uma mala, Chloe foi levada dentro da mala de um carro para a cidade de Borgial, no noroeste de Turim.
"A vítima foi dopada com quetamina, depois foi trancada dentro de uma mala e levada durante horas dentro de um carro. Imagina o que teria acontecido se ela tivesse asma", disse o promotor italiano Paolo Storari à BBC.
Local onde a modelo foi mantida em cativeiro
Local onde a modelo foi mantida em cativeiro Foto: Divulgação Polícia Italiana
No cativeiro, ela ficou algemada a um móvel de madeira durante seis dias até ser libertada pela polícia no dia 17 de julho e levada até o consulado inglês em Milão. Segundo os investigadores, eles descobriram que o sequestrador organizou vários leilões online para a venda de mulheres raptadas, com descrição e preço inicial.
Ainda segundo informações da polícia italiana, o criminoso usou uma conta criptografada para pedir ao agente da modelo US$ 300 mil para impedir que ela fosse vendida no leilão. O suspeito alegou que estava trabalhando para o "Black Death Group", uma organização que opera na internet profunda com tráfico ilegal.
A vítima contou à polícia que o sequestrador disse que liberaria ela porque o grupo não sabia que ela tinha um filho pequeno e que eles não lidavam com mães. No dia 18 de julho o polonês Lukasz Herba, de 30 anos, foi preso na Inglaterra por acusações de sequestro. As investigações do caso estão sendo conduzidas por autoridades na Itália, Polônia e Inglaterra.
PORTAL BOM JARDIM
PORTAL BOM JARDIM

Nenhum comentário:

Postar um comentário