quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Leptospirose já matou 13 em Pernambuco este ano

Fonte: FolhaPE
Pelo segundo ano consecutivo, Pernambuco registra um número elevado de casos e mortes por leptospirose, doença transmitida pela urina de ratos contaminados. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, já são 464 casos suspeitos contabilizados entre janeiro e 18 de agosto - média de dois por dia. Também foram confirmadas 13 mortes. A maior parte dos doentes e das vítimas fatais é da Região Metropolitana do Recife.
Os números se assemelham muito aos de 2016 para o mesmo período, quando foram notificados 496 casos e 14 óbitos. Em todo o ano passado foram registrados 595 suspeitas, 160 confirmações e 19 mortes.
O coordenador estadual de zoonoses da SES, Francisco Duarte, destacou que a leptospirose é endêmica no Recife e RMR, muito por conta das condições ambientais e geográficas. “Como a região está abaixo do nível do mar, quando chove há muitos alagamentos e os ratos saem das tocas no desespero e já saem urinando”, comentou.
Ele acredita que a maior intensidade de chuvas e consequentes alagamentos registrados durante o primeiro semestre deste ano contribuíram para o alto índice de adoecimento da população, sem falar na inadequada higienização corporal de quem teve contato com água de inundações ou dos utensílios atingidos pelas cheias. “Mas não podemos esquecer que a leptospirose é multifatorial e outras questões estão relacionadas ao saneamento e limpeza pública”, afirmou.
O gestor destacou que medidas de controle epidemiológico passam por ações antirratização, que compreendem, entre outras ações, a limpeza de canaletas e o recolhimento regular de lixo, além de aplicação de veneno.
 Para Francisco Duarte, as cidades devem estabelecer áreas de risco, onde a prevalência da doença é maior, e fazer um trabalho mais focal para conter a leptospirose, já que esta é uma atribuição das prefeituras. Segundo ele, a Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que a média mundial de ratos por habitante é de quatro a seis roedores. 
Contudo, para ele, essa proporção é bem superior no Estado. Levando-se em conta a população de Pernambuco, que hoje tem cerca de 9 milhões de habitantes, e a menor média estimada pela OMS, teríamos pelo menos 36 milhões de ratos. 
A cidade com maior número de casos de leptospirose é Jaboatão dos Guararapes. Por lá, já são seis mortes confirmadas. O gerente de Vigilância Ambiental do município, Otoniel Barros, também apontou que o volu­­­­­­me de chuvas contribuiu para os adoecimentos e mortes. “Como a leptospirose tem transmissão hídrica, esse pode ter sido um dos motivos”, disse. A prefeitura já começou a fazer um levantamento das áreas onde houve registros de casos suspeitos e mortes. Os bairros de Cajueiro Se­­­co e Prazeres são apontados como os de maior risco. O mapa comple­­­­­­­to vai orientar novas estratégias. 
Ações de bloqueio também foram realizadas nos locais onde óbitos suspeitos e confirmados foram apontados. Segundo Barros, o município tem feito a limpeza em áreas com lixo acumulado, em ação conjunta com a Secretaria de Infraestrutura. Em Jaboatão, 68 casos da doença já foram notificados este ano, sendo 19 deles confirmados.
 Em 2016, foram 70 notificações, 17 confirmações e nenhuma morte. As demais cidades com óbitos registrados em 2017 foram: Camaragibe (1), Igarassu (1),Olinda (1), Paulista (1) e Recife (1), na RMR, e Água Preta (1) e Escada (1), na Mata Sul.
PORTAL BOM JARDIM
PORTAL BOM JARDIM

Nenhum comentário:

Postar um comentário