quinta-feira, 3 de agosto de 2017

“Fugir da Série C é conquista”, revela técnico alvirrubro

Treinador (à dir) e vice-presidente (à esq) estão analisando opções de reforços
Treinador (à dir) e vice-presidente (à esq) estão analisando opções de reforçosFoto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco
Na lanterna da Série B 2017, com apenas 11 pontos conquistados em 18 jogos, o Náutico deve encara a fuga do rebaixamento à Série C como um título. Isso não é um juízo de valor, mas um pensamento externado pelo técnico Roberto Fernandes. O novo comandante alvirrubro declarou ainda que o clube precisa se reforçar com mais dois jogadores para o restante da competição. Confira trechos da entrevista com o treinador.
Mudança e contato com elenco
Estou mais experiente. Muita coisa que me incomodava no passado hoje é absolutamente irrelevante. Algumas sim, outras não. Antigamente era fácil me tirar do sério. Hoje consigo ignorar. Tive um contato com o elenco, abri a palavra para os jogadores se expressarem e revelarem as angústias. O clima começou a mudar. Futebol precisa ter cobrança, mas também alegria. Mesmo na lanterna, é preciso encontrar prazer em treinar, em estar no clube e jogar.
“Treinador, não torcedor”
Quem afirma isso (ser torcedor) me conhece pouco. Náutico não contratou o torcedor Roberto, mas sim o treinador. Para mim como para qualquer outro, claro que consigo unir o lado profissional e o pessoal. Mas sei separar bem na hora certa. Não posso dar um treinamento diferente que eu daria em outro clube. Torço pelo Náutico quando não estou trabalhando aqui. Se o torcedor influencia o treinador, posso começar agir por emoção. Isso é arriscado.
Contratações
Daquilo que observei, eu acho que faltam duas características em dois setores do time. Mas vou me reservar ao direito de não falar porque não quero gerar ansiedade. Da forma que eu gosto de jogar, ofensivamente, tem dois pontos que não temos. Só podemos contratar mais dois nomes e o direito de errar não é nem zero, é menos um. Pode até não dar certo, mas precisamos trazer atletas com características que se encaixem no jeito que gosto de jogar.
“Não falta vontade”
Vi uns três jogos do Náutico. Uma coisa que já vinha observando é que não falta vontade. O ponto que vou focar é muito mais em correção na melhoria da qualidade do jogo, tornando o time mais competitivo com a posse de bola. A última vitória fez muito bem ao grupo. Tiramos um peso de não estarmos vencendo e agora precisamos tirar outro peso de não vencer em casa. Precisamos controlar a ansiedade para conseguir a vitória em casa.
“Fugir da Série C é conquista”
O início de um novo ciclo de trabalho é sempre num momento de maior complicação. Quando dá certo, vem o bônus. Quando não, vem o ônus. Eu, assim como qualquer ser humano, erro. Vou errar sempre buscando pelo excesso, mas nunca pela omissão. Desde a minha última passagem aqui, eu conquistei quatro títulos estaduais. Tomara que o trabalho dê certo aqui para entrarmos em um ciclo de vitórias. Não ser rebaixado será uma conquista real, mas, pensando no futuro, está na hora de darmos volta olímpica e subir em carro de bombeiro aqui.

FOLHA PE
PORTAL BOM JARDIM
PORTAL BOM JARDIM

Nenhum comentário:

Postar um comentário