quarta-feira, 9 de agosto de 2017

'É chocante', diz Jean sobre alunos venerando Bolsonaro

LeiaJá
Antônio Augusto/ Câmara dos Deputados/Fotos Públicas Antônio Augusto/ Câmara dos Deputados/Fotos Públicas
O deputado federal Jean Wyllys (PSOL) falou de mais uma polêmica envolvendo Jair Bolsonaro (PSC). Desta vez, o psolista criticou o fato de alunos do terceiro ano de uma escola estadual militar, em Manaus, administrada pela Polícia Militar através de um acordo com a Secretaria de Educação do Amazonas, repetiram em coro as frases ditas por dois policiais: "Convidamos Bolsonaro, salvação dessa nação. Nos quatro cantos ouvirão completa nossa canção", diz uma parte da fala. 
Jean disse que a notícia, além de ser "escandalosa" era "chocante". "O Conselho Nacional (ou, se for o caso, estadual) de Educação, o Ministério Público Federal e o Tribunal Superior Eleitoral (porque é óbvio que houve também crime eleitoral) têm obrigação de se posicionar sobre esse caso e dar explicações à sociedade. É absurdo que estudantes de uma escola (no caso, uma escola militar) sejam coagidos a participar da campanha de um pré-candidato à presidencia", criticou. 
Para o deputado, o acontecimento se trata de uma "doutrinação nazifascista". "Cadê os defensores da Escola sem Partido, hein? Eu realmente estou com medo do que vai resultar desse país após esse golpe". 
"As artes vivas e as ciências do pensamento banidas das escolas sob acusação de "partidárias" e de "doutrinação" quanto o fascismo se instala na forma da militarização das crianças e adolescentes para que identifiquem um inimigo. É assombroso. Artistas, educadores e trabalhadores da cultura, uni-vos. O macarthismo tupiniquim nos espreita", continuou. 
A briga entre os dois é antiga. Jean Wyllys já chegou a cuspir na cara de Bolsonaro durante a votação do impeachment da então presidente Dilma Rousseff (PT), em abril de 2016. Jean justificou afirmando que foi vítima de homofobia. Em recente entrevista à imprensa, sem citar nome, ele disse que é assediado. "Aqui, na Câmara, eu fui vítima desde o primeiro dia de assédio por parte de um deputado fascista. Eu tolerei isso por seis anos. Essa violência simbólica foi testemunhada por vários deputados”.
Bolsonaro cresce
Uma consulta divulgada, na semana passada, que foi realizada pelo publicitário pernambucano Oswaldo Matos com pessoas de classe média em dez estados do país mostra que Bolsonaro aparece em primeiro lugar nas intenções de votos no pleito presidencial do próximo ano com 52%. Ele está na frente, inclusive de Lula (PT) que conta com 18%. Entre os estados, estão inclusos redutos do PT como Pernambuco, Rio Grande do Norte e Paraíba. 
Para Lula, o crescimento de apoio a Bolsonaro é "fruto do ódio" da rede de televisão. A afirmação aconteceu em um evento, no Palácio das Artes, em Belo Horizonte.
PORTAL BOM JARDIM
PORTAL BOM JARDIM

Nenhum comentário:

Postar um comentário