sexta-feira, 7 de julho de 2017

Perdigão volta a vender lasanhas depois de 5 anos de embargo do Cade


Depois de cinco anos banidas do mercado, as lasanhas da Perdigão voltam na próxima segunda-feira (10) aos refrigeradores dos supermercados brasileiros. A lasanha é o último de uma série de produtos da marca que tiveram as vendas suspensas em 2011 como condição para a aprovação da fusão entre Sadia e Perdigão pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). O negócio deu origem a BRF, uma das maiores empresas de alimentos do mundo.
Em 2015, três anos após o acordo, retornaram ao mercado os presuntos, apresuntados, linguiças, carne suína e produtos natalinos da Perdigão. No ano passado, foi a vez dos salames.
À época da operação com a Sadia, a Perdigão detinha 25% do nicho de lasanhas congeladas no país, segundo dados da Nielsen cedidos pela BRF. A Sadia era e continua sendo líder no setor, segundo a empresa, que não informou a participação de mercado da marca.
Para tentar recuperar o espaço que perdeu nesses anos de "castigo", a Perdigão agora terá massas com um sabor exclusivo (frango com bacon, além dos tradicionais bolonhesa e calabresa) e também porções para duas pessoas ou família (de 600g e 1Kg).Para diferenciar as marcas, os itens da Sadia têm apelo "mais saudável", com 30% menos sódio, segundo a empresa.
De acordo com a gerente de marcas da BRF, Erica Migales, mesmo com a suspensão imposta pelo Cade, a Perdigão continuou sendo a segunda maior marca no segmento de pratos congelados no Brasil. "Nas demais categorias em que Perdigão voltou a atuar, gradativamente, estamos ganhando market share", afirma.
"É um momento muito simbólico, pois com o retorno da lasanha voltamos a atuar em todas as categorias mais relevantes e volumétricas do mercado, tais como, linguiças e presunto”, disse em nota a diretora de marcas da BRF, Cecilia Mondino.

PE10
PORTAL BOM JARDIM
PORTAL BOM JARDIM

Nenhum comentário:

Postar um comentário