sexta-feira, 7 de julho de 2017

Justiça determina prisão preventiva e afastamento do prefeito


O Tribunal de Justiça da Paraíba (TJ-PB) determinou na noite da quarta-feira (5) a prisão preventiva do prefeito de Bayeux, Berg Lima (Podemos), preso em flagrante em uma operação do Ministério Público da Paraíba (MPPB) após ser flagrado recebendo dinheiro de uma suposta propina.
O juiz Aluízio Bezerra, responsável pela audiência de custódia do prefeito, determinou também que ele fosse afastado do cargo e que mandados de busca e apreensão fossem realizados na casa de Berg Lima e na Prefeitura de Bayeux nesta quinta-feira (6).
A assessoria de imprensa de Berg Lima enviou uma nota à imprensa, na qual ele diz estar sendo “vítima de uma armação política", e que o prefeito confia na Justiça e vai esclarecer os fatos. Segundo a nota, Berg Lima afirma que não praticou ato ilegal contra o povo e contra a cidade.
Segundo o delegado Lucas Sá, não há suspeita de envolvimento de outras pessoas no esquema. Pelos crimes, Berg Lima pode ser condenado a até 24 anos de prisão. O empresário que filmou o pagamento da suposta propina a Berg Lima foi um colaborador premiado e era “vítima” das “condutas” do gestor, segundo afirmou o delegado.
De acordo com Lucas Sá, o empresário não receberia os valores devidos a ele se não pagasse a suposta propina solicitada pelo prefeito. “Então não existia outra conduta pra ele. Ou pagava a propina ou ficava sem receber e fechada suas empresas. Ele preferiu pagar, mas comunicar os fatos à polícia e possibilitar, então, a prisão do prefeito”, disse. 

Prefeito de Bayeux, Berg Lima, é conduzido à Central de Polícia Civil, na Paraíba (Foto: Walter Paparazzo/G1)    
Prefeito de Bayeux, Berg Lima, foi levado à Central de Polícia Civil, em João Pessoa (Foto: Walter Paparazzo/G1)

PE10
PORTAL BOM JARDIM
PORTAL BOM JARDIM

Nenhum comentário:

Postar um comentário