terça-feira, 4 de julho de 2017

China diz que aproximação de navio dos EUA é 'provocação' e envia caças

Presidente chinês, Xi Jinping
Presidente chinês, Xi JinpingFoto: Divulgação
A China classificou como "séria provocação política e militar" a incursão de um navio de guerra americano nas imediações do arquipélago Paracel, alvo de disputa entre chineses, taiwaneses e vietnamitas.
De acordo com uma autoridade do Departamento de Defesa dos Estados Unidos citado pela agência de notícias Reuters, o "USS Stethem", um destróier de mísseis guiados, navegou neste domingo (2) a 12 milhas náuticas da ilha Triton, no mar do Sul da China. Como resposta, o país asiático enviou navios de batalha e aviões de caça para a região.
O arquipélago de Paracel é considerado pela China sob sua soberania, mas é reivindicado também pelo Taiwan e Vietnã. A região é uma zona estratégica e, por lá, circulam cerca de US$ 5 trilhões em comércio todos os anos.
"A China urge energicamente à parte americana colocar fim imediatamente a esse tipo de provocação que viola a soberania da China e ameaça sua segurança", afirmou o porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores chinês, Lu Kang. 
A operação deste domingo (2) foi a segunda desse tipo conduzida durante o governo do presidente dos EUA, Donald Trump. Em maio, um navio do país norte-americano navegou próximo ao arquipélago Spratley.
Trump e o presidente da China, Xi Jinping, conversaram nesta segunda (3) por telefone sobre a desnuclearização da Coreia do Norte e uma relação comercial melhor, mas não sobre o incidente marítimo, de acordo com um comunicado da Casa Branca.
"As relações bilaterais são afetadas por certos fatores negativos", afirmou Xi, segundo o canal de televisão estatal CCTV. "Esperamos que os Estados Unidos possam tratar corretamente as questões relativas a Taiwan, de acordo com o princípio de uma China única".

FOLHA PE
PORTAL BOM JARDIM
PORTAL BOM JARDIM

Nenhum comentário:

Postar um comentário