quinta-feira, 22 de junho de 2017

Sem emprego e sem remédio, vítima de estupro busca por justiça há 19 anos

Cristiane
CristianeFoto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco
Era madrugada de 30 de agosto de 1998 quando Cristiane (nome fictício) embarcou numa viagem que marcaria sua vida para sempre. Ela voltava do trabalho quando foi abordada por outro passageiro, armado, dentro de um ônibus da linha Brejo (Bacurau), no Recife. O homem a obrigou a ir para a parte traseira do veículo e a estuprou. Os abusos duraram quase 30 minutos, da rua da Aurora aos morros da Zona Norte do Recife. Só pararam quando o ônibus balançou e o revólver do agressor caiu. Ele acabou rendido e preso. "No meio do caminho, até subiram outros passageiros, poucos, mas acharam que era um casal fazendo safadeza lá atrás. Ninguém me ajudou", conta a vítima, chorando, enquanto segura um recorte de jornal da época.
Desde então, a vida dela se transformou numa sequência de fatos perturbadores. Depois do estupro, foi abandonada pelo companheiro, perdeu o emprego e descobriu marcas ainda mais dolorosas que as lembranças. "No posto de saúde, me disseram: Pare de amamentar seu filho. Você está com sífilis", lembra. A doença foi transmitida pelo suspeito do crime. O tratamento foi sofrido e teve efeitos colaterais. Gerou úlceras no estômago de Cristiane e a faz sofrer com inchaços, o que resultou em problemas nas articulações. Atualmente, ela toma quatro comprimidos por dia. Um deles, o Fluoxetin, antidepressivo, está em falta no posto de saúde onde ela o consegue de graça. Sem tomar a medicação, a mulher tem se sentido mal. No fim de maio, passou um dia no hospital. "O sofrimento é grande. Sem trabalhar, sem nenhuma renda, minha filha é que me ajuda. Todo dia faz o almoço e traz na minha casa", relata Cristiane, que mora sozinha num imóvel com dois cômodos num beco em Nova Descoberta, na Zona Norte.
A vítima, hoje com 46 anos, tem medo de mostrar o rosto porque briga na Justiça, há 19 anos, para que as empresas operadora e seguradora do ônibus onde houve o estupro paguem uma indenização por danos morais. Apesar de ter ganhado a causa em 2002, não viu nem a cor do dinheiro a que tem direito. "O processo já mudou de juiz várias vezes e, até agora, a parte ré tem achado maneiras de não depositar o valor. É estranho, porque todas as outras mulheres que sofreram estupro em ônibus na época já conseguiram uma solução, menos ela (Cristiane). Ela está presa ao passado. O que estão esperando? Que adoeça mais, sem trabalhar e ter como se manter?", contesta Renilda Acioli, presidente da Federação dos Usuários de Transportes Públicos.
A representante intermediou a assistência jurídica às vítimas e, entre 1998 e 2002, contabilizou 28 denúncias de estupros no transporte coletivo do Grande Recife. Oito casos tiveram conjunção carnal entre as mulheres e os criminosos e outros dois foram de atentado violento ao pudor. No de Cristiane, o Estado de Pernambuco e a antiga EMTU chegaram a ser réus na ação, mas foram inocentados pelo fato de a Justiça considerar que não se podia exigir que o poder público colocasse um policial em cada ônibus para garantir a segurança dos passageiros.
Em nota, a empresa proprietária do ônibus informou que não comenta processos jurídicos em andamento, mas reforçou que "cumpre regularmente as decisões judiciais a ela endereçadas". Já o Tribunal de Justiça de Pernambuco esclareceu que, em despacho de 19 de abril deste ano, a 23ª Vara Cível da Comarca do Recife deu prazo de 15 dias para o pagamento da indenização, mas os réus apresentaram petições. O processo aguarda que a defesa de Cristiane se manifeste nos autos. Com isso, ainda não há prazo para que a luta da vítima chegue ao fim nas vias formais.
Quem tiver interesse em ajudar Cristiane pode entrar em contato com a Folha de Pernambuco por meio dos telefones (81) 3425.5843/99146.9781 ou do e-mail cotidiano@folhape.com.br. Pode ser com o remédio de que ela precisa, com cestas básicas ou até com uma proposta de emprego - ela concluiu o ensino médio.

http://www.folhape.com.br/noticias/noticias/cotidiano/2017/06/22/NWS,31982,70,449,NOTICIAS,2190-FOLHA-AJUDA-SEM-EMPREGO-SEM-REMEDIO-VITIMA-ESTUPRO-BUSCA-POR-JUSTICA-ANOS.aspx
PORTAL BOM JARDIM
PORTAL BOM JARDIM

Nenhum comentário:

Postar um comentário