sábado, 24 de junho de 2017

Polícia divulga nota de pesar por suicídio de investigador sem citar casal morto por ele

Policial Marcelo Flávio Camardella se suicidou após matar os ex-sogros

A Polícia Civil do Rio divulgou, na tarde desta sexta-feira, uma nota de pesar pela morte do policial Marcelo Flávio Camardella Bravo, de 41 anos, investigador lotado na 24ª DP (Piedade). Nesta quinta-feira, ele se suicidou com um tiro na cabeça depois de matar os ex-sogros na casa deles, no bairro do Fonseca, em Niterói, Região Metropolitana do Rio. No comunicado, a Polícia não menciona o casal assassinado.

A nota diz que a Polícia Civil está solidária à família, colegas e amigos de Marcelo, que, depois de atirar contra João Carlos da Rocha, de 63 anos, e Maria Diana da Rocha, de 64 anos (seus ex-sogros), se matou com um disparo na cabeça na frente da ex-mulher e da filha de 5 anos.

O comunicado, divulgado às 15h23, informa que sepultamento ocorrerá nesta sexta-feira, às 15h, no Cemitério do Maruí, no bairro de Barreto, em Niterói, com velório previsto para às 14h30.

A chefia da Polícia Civil destaca que Marcelo tinha pouco mais de sete anos de serviços prestados à instituição, mas não comenta que o policial era readaptado pela psiquiatria.

Em depoimento à Polícia, Luciana da Rocha, ex-mulher do assassino, afirmou que o ex-marido havia sido diagnosticado com transtorno bipolar. De acordo com informações da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG), o inspetor era readaptado pela psiquiatria. Com ele foi apreendida uma pistola de propriedade da Polícia Civil e um revólver particular. A especializada apura as circunstâncias do crime.

EXTRA
PORTAL BOM JARDIM
PORTAL BOM JARDIM

Nenhum comentário:

Postar um comentário