sexta-feira, 16 de junho de 2017

Mulher com deficiência ganha direito de participar de concurso público

Por TV Jornal
Reprodução/TV Jornal
O Tribunal de Justiça de Pernambuco concedeu dois mandados de segurança para que Maria Eugênia Bispo possa continuar a concorrer a uma vaga para escrivã da Polícia Civil de Pernambuco. Ela passou por algumas fases do concurso, mas teve o sonho de ingressar na corporação interrompido quando informaram que ela estava desclassificada por ter dificuldade para se locomover.
O que chamou a atenção foi que Eugênia estava concorrendo a uma das vagas para pessoas com deficiência. “Eu adaptei o meu atestado, eles aceitaram no dia, me deixaram fazer as provas, depois veio a reprovação”, disse Maria Eugênia, ciente de que esse é só mais um desafio a ser ultrapassado.
O advogado Mateus Pereira, que está acompanhando Eugênia no caso, disse que, em ambas as decisões,foi reconhecido o direito dela de continuar participando da concorrência. “Na prova do exame médico ela foi eliminada por ser pessoa com deficiência”, comentou o advogado. Ainda segundo ele, a postura adotada pela junta médica mostrou que as pessoas com deficiência estão sendo impossibilitadas de ingressar em um concurso público.
Maria Eugênia Bispo ficou paraplégica em 2013, após sofrer um acidente em uma academia de ginástica. Ela estava realizando um exercício na barra quando se desequilibrou e caiu. A queda rendeu uma lesão na medula e uma fratura na região lombar. Desacreditada pelos médicos, Maria Eugênia intensificou os trabalhos de fisioterapia e voltou a caminhar. Agora ela quer voltar a trabalhar.

PORTAL BOM JARDIM
PORTAL BOM JARDIM

Nenhum comentário:

Postar um comentário