quinta-feira, 18 de maio de 2017

Polícia volta atrás e descarta caso de Baleia Azul no Recife: 'Foi um problema familiar'

Por TV Jornal

Reprodução/TV Jornal
O delegado do Departamento de Polícia da Criança e do Adolescente (DPCA), Ademir Soares Oliveira, confirmou, na tarde desta terça-feira (16), que a adolescente, de 15 anos, encontrada com os braços mutilados e que se preparava para pular da Ponte Buarque de Macedo, no Centro do Recife, não foi vítima do “jogo” conhecido como Baleia Azul. Durante a noite da última segunda-feira (15), a Polícia Civil havia confirmado que a garota teria sido a nona vítima em Pernambuco, mas a possibilidade foi descartada depois que a adolescente foi ouvida por psicológicos do DPCA.
A garota esteve na delegacia e foi interrogada pela segunda vez. Ela estava acompanhada de conselheiros tutelares, do Cabo de Santo Agostinho, e dos pais, que também prestaram depoimento. Eles preferiram não gravar entrevista. O delegado Ademir Soares Oliveira afirmou que a garota se mutilou e se preparou para pular da ponte no Rio Capibaribe porque estava passando por problemas familiares. A Polícia Civil não entrou em detalhes sobre o caso e só vai se pronunciar durante uma entrevista coletiva nesta quarta-feira (17).
A garota, que mora no Cabo de Santo Agostinho, foi vista, na noite da última segunda-feira, por um homem no momento em que ameaçava pular de uma ponte, no Centro do Recife. A estudante foi encontrada com os braços cortados. Em um dos braços, ela chegou a fazer o desenho parecido com o de uma baleia. Por isso surgiu a suspeita da polícia de que a adolescente teria sido vítima do suposto jogo. A adolescente foi levada para a Central de Plantões da Capital e foi submetida a exames no Instituto de Medicina Legal (IML), em Santo Amaro, na área central do Recife. A polícia já registrou oito casos do jogo Baleia Azul em Pernambuco.

PORTAL BOM JARDIM
PORTAL BOM JARDIM

Nenhum comentário:

Postar um comentário