sábado, 27 de maio de 2017

Enterrados os corpos de posseiros mortos em fazenda

LeiaJá
Os corpos dos dez agricultores mortos na última quarta-feira (24) em confronto com a polícia na Fazenda Santa Lúcia, em Pau D´Arco, no sudeste do Pará, foram velados no ginásio da escola municipal Otávio Batista Arantes, em Redenção, na manhã desta sexta-feira (26). Oito vítimas foram enterradas no cemitério municipal Parque da Paz, naquela cidade. Os corpos de outras duas pessoas seguiram para a cidade de Pau D´Arco, onde serão enterrados. O enterro teve a presença de representantes dos Direitos Humanos.
O promotor de Justiça de Redenção, Erick Fernandes, esteve na fazenda Santa Lúcia, juntamente com os procuradores da República Deborah Duprat e Igor Spindola. Representantes de movimentos sociais e da Comissão Nacional dos Direitos Humanos também estiveram no local. O objetivo da visita foi acompanhar o trabalho de peritos que buscavam cápsulas de bala, marcas de sangue e outras informações que podem contribuir para a elaboração do inquérito policial.
Antes da visita, o Ministério Publico do Pará (MPPA) reuniu familiares das dez pessoas mortas na operação policial. O encontro foi iniciado na Promotoria de Justiça de Redenção e foi concluído na sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no município. Os promotores de Justiça Jane Cleide Silva e Alfredo Amorim, que são lotados em outros municípios mas estão reforçando a atuação da instituição neste caso, também participaram da reunião.
As famílias pediram rigor nas investigações. Foram identificadas as seguintes vítimas: Hércules Santos Oliveira, Ronaldo Pereira de Souza, Antônio Pereira Milhomem, Bruno Henrique Pereira Gomes, Regivaldo Pereira da Silva, Wedson Pereira da Silva, Nelson Souza Milhomem, Clebson Pereira Milhomem, Oseir Rodrigues da Silva, Jane Julia de Oliveira. O MPPA vai aguardar o resultado da perícia para instruir os devidos procedimentos.
As mortes dos agricultores ocorreram nesta quarta-feira (24) durante uma operação da polícia militar que cumpriam 16 mandados de busca e apreensão na fazenda Santa Lúcia, distante 50 km de Redenção, sudeste paraense. Dez pessoas morreram na operação. Não houve policiais feridos.
Equipes da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social do Pará também estiveram na área da fazenda Santa Lúcia. O objetivo é garantir maior imparcialidade e rigor nas investigações. “A Polícia Militar, a Polícia Civil e o Centro de Perícias Científicas Renato Chaves estão aqui para garantir a lisura e a imparcialidade nas investigações. Tanto quanto a sociedade, o sistema de segurança do Pará deseja que este caso seja resolvido com absoluta transparência”, afirmou o coronel Leão Braga, segundo a Agência Pará.
A operação buscava cumprir 14 mandados judiciais, mas com a resistência e reação do grupo, segundo relatos policiais, dez pessoas acabaram mortas durante o tiroteio. Antes da diligência até a área da fazenda, os responsáveis pela operação se reuniram com o subcomandante da Polícia Militar, coronel Leão Braga; o delegado da Divisão de Operações Especiais, Aurélio Paiva; dois peritos do CPC Renato Chaves; e três agentes de inteligência do Comando de Missões Especiais. Pouco depois, o grupo também se reuniu com o procurador geral do Ministério Público do Estado (MPE), Gilberto Valente, que foi até Redenção e já anunciou que vai determinar a abertura de inquérito para apurar se houve excessos na operação, que também é objeto de inquéritos da própria PM e da Polícia Civil.
A incursão preliminar dos peritos revelou a existência de dois acampamentos: um ponto de apoio para subsistência, onde estavam guardadas dezenas de cestas básicas, e um ponto de convivência, onde os invasores se reuniam e dormiam. Os peritos encontraram neste local cápsulas deflagradas de projéteis calibre 380, que coincidem com o calibre de algumas armas apreendidas com os posseiros. As marcas de bala na vegetação também indicam que pode ter ocorrido um tiroteio na área. Os técnicos voltarão nesta sexta-feira, 26, ao local.
As armas apreendidas durante a operação policial na Fazenda Santa Lúcia, município de Pau d’Arco, na quarta-feira, 24, já estão à disposição do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, em Belém. São 11 armas: espingardas, cartucheiras, um fuzil e uma pistola Glock, estas duas de uso restrito das forças policiais. As armas e coletes dos policiais civis e militares que participaram da operação na fazenda já foram apresentados e também serão encaminhados para perícia.
Com informações da assessoria do MPPA e da Agência Pará.
Advogados, promotores, representantes dos Direitos Humanos e OAB estão no local da chacina
Agência Pará
PORTAL BOM JARDIM
PORTAL BOM JARDIM

O Portal Bom Jardim é um site de notícias da cidade de Bom jardim/PE, que prima pela qualidade das informações, pois considera importante qualificar as discussões nas suas áreas de maior abrangência. Visando oferecer aos internautas conteúdos até então pouco explorados regionalmente! Há 3 anos no mercado, buscamos dia a dia aperfeiçoar e ampliar nosso universo de noticias. Por todos estes motivos é que o site Portal Bom Jardim é um espaço viável para receber o seu anúncio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário