sábado, 13 de maio de 2017

Baleia Azul: polícia investiga participação de jovem do Recife no jogo

Por TV Jornal

Reprodução/TV Jornal
Foi apresentado pela Polícia Civil, na manhã desta sexta-feira (12), os detalhes sobre o caso de uma jovem de 19 anos que autoflagelou-se após começar a participar do desafio da Baleia Azul, 'jogo' que incentiva o comportamento suicida. A mãe da garota procurou a delegacia do Cordeiro, na Zona Oeste do Recife, depois de notar os ferimentos causados por navalha e estilete no corpo da filha.
Os policiais tiveram acesso às mensagens trocadas entre a jovem e os 'curadores' do jogo - pessoas que lançam os desafios da Baleia Azul. De acordo com o chefe da Polícia Civil, Joselito Kehrle, a jovem estaria no último estágio do jogo. "A ação da polícia foi eficaz e rápida para evitar que ela cometesse suicídio", contou, se referindo ao tempo em que a polícia teve acesso à informação. A mãe da jovem procurou a delegacia na quinta-feira (11).
Em depoimento, ela contou que a filha começou a apresentar um comportamento estranho há 3 meses, trocando a noite pelo dia, assistindo vídeos macabros e ouvindo musicas que reforçavam a depressão. A garota já teria apresentado, no passado, um comportamento depressivo.
"Há três meses percebo as mudanças. Eu descobri através de uma postagem no Facebook dela, na madrugada da quarta-feira (10)", contou a mãe da jovem, que não terá a identidade revelada para que a jovem não seja identificada. "Infelizmente a gente tem essa impressão de que com a gente é impossível de acontecer, mas as vezes a gente já está de frente com o problema", concluiu.
Com esse caso, de acordo com a Polícia Federal, já são oito sendo investigados em Pernambuco.
No jogo, adolescentes são convocados para grupos fechados no Facebook e no WhatsApp, e devem cumprir 50 desafios pré-estabelecidos por curadores. Entre as tarefas, estão mutilar os braços com facas, assistir a filmes de terror na madrugada e, na tarefa final, cometer suicídio. Há indícios de que o "jogo" começou na Rússia entre 2015 e 2016 e que ele está ligado a uma série de suicídios em todo o mundo.

Dez alertas para pais e educadores sobre o jogo

Educadores da rede de escolas de informática Microcamp, de São Paulo, elaboraram uma cartilha na qual são traçados dez sinais de alerta. Confira abaixo:
1. Prestar atenção se o jovem sabe do que e trata o jogo e seus perigos. Converse sobre o assunto. Na adolescência é comum que os pais sejam excluídos da vida social de seus filhos, entretanto, segundo Helder Hidalgo, coordenador de cursos e psicólogo, é fundamental ter um diálogo dentro de casa, entender qual é a necessidade do jovem no momento.
2. Ficar atento ao comportamento dos jovens, prestando atenção se há alguma mudança significativa.
3. Atenção nas atividades dos jovens na internet. Procure saber o que o jovem está acessando, o que está jogando, com quem, se aceitou convites de desconhecidos.
4. Verificar se o jovem usa manga comprida mesmo em dia quente.
5. Verificar se há marcas pelo corpo.
6. Atentar para o rendimento escolar.
7. Perceber se há isolamento e sinais de tristeza.
8. Notar se há agressividade.
9. Atentar para os temas das conversas dos jovens.
10. Se notar alguma alteração, professores e pais devem conversar com o jovem e procurar ajuda profissional.
PORTAL BOM JARDIM
PORTAL BOM JARDIM

Nenhum comentário:

Postar um comentário