quarta-feira, 15 de março de 2017

Com dinheiro do BNDES, Paulo Câmara quer levar água a 23 municípios em colapso, no interior, até o fim de 2017

Governador Paulo Câmara (PSB) fala para empresários no LIDE Pernambuco. Foto: Wagner Ramos/SEI
Governador Paulo Câmara (PSB) fala para empresários no LIDE Pernambuco. Foto: Wagner Ramos/SEI
O governador Paulo Câmara (PSB) buscou no BNDES, nesta terça (14), fechar a engenharia financeira para entregar a primeira fase da Adutora do Agreste em 2017, até dezembro. Se conseguir, terá não só revertido a seca em 23 cidades, de 33 em colapso pela falta de água, em Pernambuco. Ganhará um reforço político no Agreste, rumo a 2018.
A adutora é o principal complemento da transposição. Mas ela dependia de uma obra não realizada pelos governos Lula e Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (PMDB): o Ramal do Agreste, um canal que pegaria parte da água da transposição para a Adutora do Agreste, 1.100 km de tubos para chegar a 68 cidades. Sem o Ramal, a água da transposição só vai direto para a Paraíba.
O governo pensou em como usar a Adutora mesmo sem água da transposição. É possível abastecer 23 das 33 cidades hoje em colapso no interior. Mas o dinheiro começou a travar em Brasília e a adutora atrasou. Agora Paulo quer acelerar a obra com parte dos R$ 600 milhões em empréstimos autorizados pelo governo Temer. Ontem ele estava no BNDES negociando. E a Compesa já se prepara. Há um sentimento de urgência no governo.
“FIZEMOS A NOSSA PARTE”
Presidente da Compesa, Roberto Tavares lembra o dia em que a estatal iniciou a obra da Adutora do Agreste: 4 de junho de 2013. “Mas entre 2014 e 2015 o repasse foi quase zerado pelo governo federal”, diz. Hoje as obras voltaram ao ritmo, porém foi o Ramal do Agreste que não saiu. “Fizemos a nossa parte”, fala.

Com R$ 165 milhões em emendas de bancada, Paulo ampliou o alcance da primeira etapa da Adutora do Agreste: vai levar a água por meio de outra tubulação, a Adutora do Moxotó, a seis municípios, como Jataúba e Paranatama.

A Adutora do Agreste terá a “espinha dorsal” ao longo da BR-232, chegando a Belo Jardim, Pesqueira e Cruzeiro do Nordeste, entre outras. A segunda fase levará a água até Caruaru, atendida por outra obra nova, Adutora do Pirangi.
MARCAÇÃO CERRADA DE ARMANDO MONTEIRO
O senador Armando Monteiro (PTB) cobrou também nesta terça (14), no Senado, os complementos da transposição, como a Adutora e o Ramal ao Agreste. Em discurso, se disse “totalmente comprometido” com a cobrança pela liberação dos recursos.
Os ex-presidentes Lula e Dilma (PT) farão domingo o primeiro ato juntos na transposição, desde 2014. Armando dá a eles “o mérito da obra”.
Mas o petebista “se congratula” com o presidente Michel Temer (PMDB) por aumentar os repasses para concluir a transposição.

 http://jc.ne10.uol.com.br/blogs/pingafogo/2017/03/15/paulo-camara-quer-levar-agua-a-23-municipios-em-colapso-no-interior-ate-o-fim-de-2017/
PORTAL BOM JARDIM
PORTAL BOM JARDIM

Nenhum comentário:

Postar um comentário